Saiba como funciona o ‘feirão do emprego’ em SP

O CAT (Centro de Apoio ao Trabalhador) promove até sexta-feira (10) em São Paulo, das 8h às 16h, um “feirão do empregopara inclusão de deficientes físicos, sensoriais e intelectuais no mercado de trabalho.

O diferencial está na presença do patrão no local, que seleciona o próprio candidato para mais de mil oportunidades, com salários que chegam a R$ 8.000.

A gerente do programa Inclusão Eficiente, Daiane Oliveira de Paula, explica que as chances, voltadas inclusive para quem não tem experiência, têm outras boas faixas de remuneração inicial que vão de R$ 2.000 e R$ 3.000.

A especialista esclarece ainda que não há nenhuma diferenciação na hora de remunerar o funcionário por conta de alguma deficiência:

— A empresa não contrata uma deficiência. Ela contrata um profissional que precisa de alguma ajuda técnica. Se este profissional puder exercer o trabalho de um gerente, recebe a remuneração correspondente.

Os salários variam de acordo com a posição que o deficiente ocupa, que normalmente são de serviços gerais, mas o deficiente tem plenas condições de assumir as responsabilidades de um cargo mais alto.

— É o deficiente quem define suas limitações.

Para as pessoas sem experiência anterior, há vagas para auxiliares de limpeza, administração, financeiro, farmácia, cozinha, rouparia, almoxarifado, produção, comercial, estoque, operacional e jovem aprendiz. Existem oportunidades também para técnicos, profissionais com curso superior e prestação de serviços.

Aumento da oferta

A maior fiscalização da lei de inclusão de deficientes no mercado de trabalho e a crescente sensibilização das empresas para contratá-los estão resultado em falta de mão de obra que se enquadre nas cotas previstas nas empresas.

O CAT convocou todo o seu banco de talentos com necessidades especiais e a  expectativa é de que 60% consigam uma recolocação profissional.

As empresas contam com palestras de sensibilização durante a rodada para fazerem os ajustes adequados a cada vaga, e assim evitar problemas no ambiente de trabalho, conta a especialista em acessibilidade da Avape (Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência), Karolline Sales.

– Qualquer função nas quais as limitações não interferem nas tarefas do trabalho pode ser feita a inclusão. Não é aconselhável que um surdo seja empregado no setor de “tire suas dúvidas aqui”, por exemplo.

Outras atrações

O objetivo do feirão do emprego não é apenas preencher vagas existentes, mas promover a sensibilização de pessoas e empregadores sobre a riqueza da diversidade e, por isso, há ações de capacitação e sensibilização de empresários por meio da Sala dos Sentidos, onde pessoas sem deficiência podem experimentar privações de alguns dos sentidos.

Para o trabalhador, durante o período da Rodada de Empregos Inclusiva são feitas oficinas do programa orientação para o trabalho e tirar a primeira ou segunda via da carteira de trabalho. Eles poderão ainda tirar dúvidas relacionadas ao laudo médico e saber como obter o “Bilhete Único Especial”, que garante o transporte gratuito.

Serviço

Rodada de Empregos Inclusiva do CAT (Central de Apoio ao Trabalhador)

Data: até sexta-feira (10)
Horários: das 8h às 16h
Local: Unidade Luz do CAT – Avenida Prestes Maia, 913 – região central da capital paulista
O que levar: RG, CPF, Carteira de Trabalho e número do PIS, Laudo Médico (se tiver) e exame de Audiometria (para pessoas com deficiência auditiva).
Número de vagas: mais de 1.000
Faixa salarial: entre R$ 622 e R$ 8.000

Loading...
Related Video
 

About the author

More posts by carol

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment