Polícia prende mais um suspeito de matar dentista em São Bernardo do Campo (SP)

Um quarto suspeito pelo envolvimento na morte da dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46, foi preso na madrugada desta segunda-feira (29) na casa de parentes, em Itapevi, na região metropolitana de São Paulo, de acordo com a Polícia Militar. Segundo a PM, trata-se de Tiago de Jesus Pereira, 25, que aparece de óculos no retrato falado divulgado na sexta-feira (26). Ele foi levado para o 2º DP de São Bernardo do Campo (ABC Paulista).

De acordo com o delegado seccional de São Bernardo do Campo, Waldomiro Bueno Filho, o suspeito nega participação no crime, mas confessou ter cometido outros assaltos do tipo. Seus comparsas, detidos na madrugada de sábado, 27,confessaram o crime, disse o delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Maurício Blazeck, em entrevista coletiva.

Um menor de 17 admitiu ter ateado fogo na dentista com um isqueiro, depois de o grupo ter molhado o corpo da dentista com álcool. Jônatas Cassiano Araújo, de 21 anos, e Victor Miguel Souza Silva, de 24, foram presos na comunidade Santa Cruz, em Diadema (SP).

Vitor Miguel, que já tem passagem pela polícia, seria o “cabeça” do grupo. Segundo o delegado, a polícia conseguiu recuperar a arma do crime e um anel da dentista, que estava na carteira de um dos detidos.

Outros dois adolescentes de 17 anos foram apreendidos com os suspeitos –um deles dava abrigo aos criminosos– e também aguardam decisão da Vara da Infância e Juventude. Os três adolescentes já tiveram passagem pela polícia por porte de drogas.

O grupo também é investigado por participação em outros assaltos a consultórios. De acordo com a polícia, um deles se passava por paciente para avaliar a segurança dos estabelecimentos.

O assalto

Os criminosos invadiram a clínica odontológica de Cinthya e dois deles roubaram o cartão de crédito da vítima para fazer um saque em um caixa eletrônico. Após constatarem que a dentista só tinha R$ 30 na conta, eles retornaram ao consultório, atearam fogo em seu corpo e fugiram.

Cinthya atendia uma paciente –cujo nome não foi divulgado– quando os criminosos apertaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico, e a dentista abriu o portão, quando mais dois criminosos invadiram o local. O consultório de Cinthya funcionava nos fundos de sua casa.

A paciente ficou com os olhos vendados durante todo o assalto e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados.

A paciente, segundo a investigação, conseguiu ouvir a dentista gritando “não façam isso” e pedindo socorro. “Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos”, disse o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho.

O consultório de Cinthya funcionava nos fundos de sua casa. Ela morava com os pais e uma irmã, que tem deficiência mental. O pai dela, Viriato Gomes de Souza, 70, afirmou que ela não costumava ficar sozinha em casa no horário do almoço.

“Ela ia buscar a irmã na escola, mas, como tinha uma paciente, eu fui com a minha mulher.” Quando o pai chegou à rua, viu a movimentação na frente de casa. Foi avisado pelos vizinhos da morte da filha. “Quis entrar, tentei reanimá-la, mas já não dava para fazer nada”, disse.

Emocionado, ele diz não saber o motivo de tamanha brutalidade. “Ela era uma pessoa boa, sem inimigos. Agora, a gente não sabe o que vai fazer da vida, se continuará morando lá. Espero que ninguém precise passar pela dor que estou passando”, afirmou.

O corpo de Cinthya foi enterrado nesta sexta-feira (26) no Cemitério Municipal de São Bernardo do Campo. O caixão foi comprado mediante doações dos vizinhos e amigos da vítimas, que se sensibilizaram com a situação da família.

Loading...
Related Video
 

About the author

More posts by carol

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment