PIB do Brasil mostra força no 1o tri, mas deve desacelerar

08 06 PIB 300x168 PIB do Brasil mostra força no 1o tri, mas deve desacelerar

PIB BRASIL

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) – A economia brasileira mostrou força de janeiro a março, com expansão de 1,3 por cento sobre o final de 2010. Mas já há sinais de uma acomodação após as medidas adotadas pelo governo para combater a inflação, como o abrandamento do consumo das famílias.

A taxa de crescimento foi a maior desde o segundo trimestre do ano passado. Em relação ao mesmo período de 2010, o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) foi de 4,2 por cento.

Os números –divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira– vieram em linha com a mediana das previsões de economistas consultados pela Reuters.

‘É um crescimento satisfatório, mostrando que a economia continua tendo vitalidade, porém desacelerando em relação ao ano passado’, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

‘Houve uma moderação do crescimento e do consumo (das famílias)… Ele desacelerou em relação ao ano passado, que é o que nós queríamos’, destacou Mantega.

O consumo das famílias avançou 0,6 por cento no primeiro trimestre sobre o período imediatamente anterior, resultado mais baixo desde o quarto trimestre de 2008. Segundo a economista do IBGE Rebeca Palis, a massa salarial cresceu menos no trimestre. Os preços mais altos e o crédito mais caro também afetaram o consumo.

O consumo do governo teve expansão de 0,8 por cento. O crescimento da formação bruta de capital fixo, uma medida dos investimentos, acelerou para 1,2 por cento frente ao quarto trimestre do ano passado, mas há incertezas sobre a evolução do indicador, segundo o IBGE.

Entre os setores, também na comparação com os três últimos meses de 2010, a indústria subiu 2,2 por cento, a agropecuária cresceu 3,3 por cento e os serviços registraram expansão de 1,1 por cento.

‘A economia brasileira está desacelerando mais marcadamente à medida que o mercado doméstico está sendo deprimido por medidas restritivas… A economia vai desacelerar mais neste ano, com crescimento abaixo do potencial’, afirmou o diretor da Moody’s Analytics para América Latina, Alfredo Coutiño.

O Banco Central vem trabalhando para esfriar a economia, em meio ao esforço para reduzir a inflação. Em dezembro, adotou medidas macroprudenciais para conter a expansão do crédito. Em janeiro, iniciou um ciclo de aperto monetário. A expectativa é de que o BC promova mais um aumento de 0,25 ponto no juro na semana que vem, a 12,25 por cento.

COMPARAÇÃO COM 2010

Em relação ao início do ano passado, os investimentos avançaram 8,8 por cento, menor expansão desde os três últimos meses de 2009.

O consumo das famílias se expandiu 5,9 por cento contra o primeiro trimestre de 2010, enquanto o consumo do governo subiu 2,1 por cento.

O setor de serviços se destacou, ao crescer 4 por cento. A expansão da indústria desacelerou para 3,5 por cento, com destaque positivo para a construção, com expansão de 5,2 por cento. A agropecuária teve alta de 3,1 por cento.

O PIB em valores correntes alcançou 939,6 bilhões de reais no primeiro trimestre.

Em 12 meses até março, a taxa de crescimento do Brasil foi de 6,2 por cento.

Loading...
Related Video

Tags:

 

About the author

More posts by admin

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment