Mackenzie e outras 4 universidades de SP têm de devolver R$ 662 milhões

Decisões expedidas entre fevereiro de 2012 e maio deste ano pela Justiça Federal determinam que cinco instituições de ensino superior paulistas devolvam R$ 662 milhões aos cofres públicos por isenção indevida de impostos. O levantamento foi divulgado pelo site Congresso em Foco. Como as decisões são de primeira instância, ainda cabe recurso.

Mackenzie, Metodista e PUC-Campinas estão entre as universidades condenadas. A Justiça alega que as instituições não cumprem exigências legais para serem consideradas filantrópicas e, assim, terem isenção no recolhimento de impostos.

O Mackenzie e a PUC-Campinas foram condenados a pagar R$ 240 milhões, cada um. A Metodista precisará devolver R$ 90 milhões. Os valores tiveram como base dados do Ministério da Justiça compilados pelo site.

Engrossam a lista de instituições paulistas a Fundação Dom Aguirre – condenada a devolver R$ 45 milhões – e a Universidade de Araras – que terá de ressarcir R$ 47 milhões. Universidades do Rio, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul também foram mapeadas no levantamento.

Receita

Em 2003, o jornal O Estado de S. Paulo publicou o resultado de auditoria feita pelo Ministério da Previdência Social e pela Receita Federal para fiscalizar as 350 maiores entidades com títulos de beneficentes do País.

Segundo os auditores, instituições como o Mackenzie e a Metodista não praticam filantropia, apesar de serem isentas de contribuição previdenciárias.

No centro da polêmica estava justamente o conceito de filantropia. Ambos os lados se utilizam da Constituição, de decretos e leis para sustentar que o certificado deve ser ou não merecido. Na maioria dos casos, a briga continua se estendendo na Justiça.

Outro lado

Consultado pelo Estadão.edu, o Mackenzie afirma que foi “surpreendido” com a decisão. “A instituição se considera filantrópica, e, em situações em que vê o seu direito ameaçado ou não reconhecido, tem recorrido administrativa e judicialmente”, diz comunicado oficial. A universidade promete recorrer da decisão. Sobre os supostos valores devidos, em torno de R$ 240 milhões, o Mackenzie alega que “não se considera devedora de nenhum valor”.

A PUC-Campinas informou à reportagem que “já apresentou o recurso de apelação e aguarda a decisão do Tribunal Regional Federal”. A universidade disse que está com o certificado “em vigor e nos moldes do que assegura a lei”.

Já a Metodista afirmou que “sempre foi cumpridora da legislação tributária para fazer jus à imunidade constitucional das contribuições sociais”, disse em nota encaminhada aoEstadão.edu. A instituição ainda afirmou que “os porcentuais de gratuidade em bolsas de estudos a alunos superam os 20% exigidos por lei”. Ela vai recorrer da condenação.

A Fundação Dom Aguirre disse que moverá recursos contra a decisão “nos prazos legais”. Afirmou ainda que “atende plenamente às exigências para seu credenciamento como entidade filantrópica, oferecendo, inclusive, uma quantidade de bolsas de estudo superior ao que estabelece a lei”.

A Universidade de Araras não respondeu até a publicação desta reportagem.i

Loading...
Related Video
 

About the author

More posts by carol

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment