Faca do esquartejamento foi jogada em lixeira perto de shopping

Após Elize Matsunaga confessar em depoimento ter matado e esquartejado o marido, o empresário Marcos Kitano Matsunaga, na noite de quarta-feira (6), a polícia iniciou a reconstituição do crime no apartamento em que o casal morava.

Ainda na noite de quarta, a polícia iniciou as buscas pela faca que Elize usou para esquartejar o marido e pelas malas utilizadas por ela para transportar os pedaços do corpo do empresário. No entanto, por causa da chuva que atingia a cidade, as buscas foram suspensas e devem ser retomadas na próxima segunda-feira (11).

Segundo informações da polícia, a faca foi jogada em uma lixeira próxima ao shopping Villa Lobos, localizado na zona oeste de São Paulo. Já as três malas teriam sido atiradas em algum trecho da rodovia Raposo Tavares, sentido São Paulo, quando Elize voltava de Cotia após deixar as partes do corpo do empresário em estrada de terra da região.

Perícia

Os trabalhos tiveram início por volta das 21h e se estenderam até a 1h desta quinta-feira (7). Os peritos usaram um boneco do tamanho de um adulto para simular o corpo da vítima. Vestígios de sangue foram colhidos nos locais indicados por Elize e o material será encaminhado ao Instituto de Criminalística para exames de DNA.

Cerca de 30 armas pertencentes ao empresário, que era colecionador, foram recolhidas no apartamento. Entre as peças havia pistolas, fuzis e até sub-metralhadoras —  todas legalizadas, segundo os policiais presentes na reconstituição. O material foi levado para um cofre do DHPP (Departamento de Proteção à Pessoa) por medida de segurança. A arma utilizada para matar Matsunaga estava entre o armamento apreendido.

Perícia

Os trabalhos tiveram início por volta das 21h e se estenderam até a 1h desta quinta-feira (7). Os peritos usaram um boneco do tamanho de um adulto para simular o corpo da vítima. Vestígios de sangue foram colhidos nos locais indicados por Elize e o material será encaminhado ao Instituto de Criminalística para exames de DNA.

Cerca de 30 armas pertencentes ao empresário, que era colecionador, foram recolhidas no apartamento. Entre as peças havia pistolas, fuzis e até sub-metralhadoras —  todas legalizadas, segundo os policiais presentes na reconstituição. O material foi levado para um cofre do DHPP (Departamento de Proteção à Pessoa) por medida de segurança. A arma utilizada para matar Matsunaga estava entre o armamento apreendido.

Preventiva

A Polícia Civil vai pedir a prisão preventiva de Elize, mas sem data definida. De acordo com o diretor do DHPP (Departamento de Homicídio e de Proteção à Pessoa), Jorge Carrasco, a polícia deve aguardar a conclusão do inquérito, prevista para acontecer nos próximos 15 dias, período em que Elize estará detida sob prisão temporária, de acordo com determinação da Justiça.



Loading...
Related Video
 

About the author

More posts by carol

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment