Em noite de coroação para o Timão, Vasco domina os prêmios individuais

Dedé leva dois dos cinco troféus do Cruz-Maltino na noite (melhor zagueiro pela direita e craque da galera). Neymar é o craque do campeonato

Por globoesporte.com,
Em cerimônia realizada no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, a CBF encerrou na noite desta segunda-feira a temporada do futebol brasileiro com o Prêmio Craque do Brasileirão. O Corinthians, campeão brasileiro, recebeu o troféu pelo título de 2011. Nas premiações individuais, entretanto, o Vasco foi o grande vencedor da noite, com cinco troféus (melhor zagueiro pela direita e craque da galera, Dedé, melhor lateral-direito, Fagner, melhor meia pela direita, Diego Souza, e melhor técnico Ricardo Gomes/Cristóvão Borges). O Corinthians levou a melhor com os dois volantes (Ralf e Paulinho foram os melhores por direita e esquerda, respectivamente). Neymar, do Santos, foi escolhido como o craque da competição.

No fim, a seleção do Brasileirão acabou escalada da seguinte forma: Jefferson (Botafogo), Fagner (Vasco), Dedé (Vasco), Réver (Atlético-MG) e Bruno Cortês (Botafogo); Ralf (Corinthians), Paulinho (Corinthians), Diego Souza (Vasco) e Ronaldinho Gaúcho (Flamengo); Neymar (Santos) e Fred (Fluminense); técnico: Cristóvão e Ricardo Gomes (Vasco); revelação: Wellington Nem (Figueirense).

Algumas gafes e situações inusitadas marcaram a noite em São Paulo. Antes mesmo do início houve a primeira saia-justa. Presidente do Vasco, Roberto Dinamite não recebeu convite para a festa. Rodrigo Paiva, assessor de imprensa da CBF, informou ao mandatário vascaíno que se tratava de um erro da empresa que organizou o evento e que ele poderia ir assim mesmo, mas Roberto preferiu não ir a São Paulo. Depois, no decorrer da festa, houve outros deslizes de organização, como falta de envelope para anunciar vencedor de categoria e sumiço de Dedé no momento de receber o prêmio de Craque da Galera. Neste momento, ele gravava uma participação no programa “Bem, Amigos”, do SporTV.
A cerimônia começou com a exibição de um vídeo, narrado por Galvão Bueno, falando sobre a emoção que o futebol provoca nas pessoas. Em seguida, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, fez um discurso de abertura e agradecimento. O mandatário, entretanto, derrapou ao citar números do campeonato. Teixeira apontou 964 gols em 360 jogos disputados, quando na verdade foram 1.017 gols em 380 jogos.

O evento foi apresentado por Luciano Huck, Glenda Kozlowski e Tiago Leifert. O primeiro prêmio apresentado foi o de melhor goleiro (Jefferson, do Botafogo) seguido do de craque do Brasileirão: Neymar. O santista viajou mais cedo nesta segunda-feira, rumo ao Japão, onde o Santos vai disputar o Mundial de Clubes a partir da próxima semana. Neymar Santos, pai do craque, recebeu o troféu pelo filho. Logo depois, Borges foi homenageado como artilheiro do campeonato (23 gols). Também santista, o atacante não compareceu por, como Neymar, estar a caminho do Japão.
Seguiram-se então premiações entremeadas por atrações musicais e homenagens. Rogério Ceni foi lembrado pelos mil jogos completados com a camisa do São Paulo e os cem gols marcados na carreira. Um vídeo foi exibido com grandes momentos do camisa 1, que não compareceu ao evento. Durante a premiação de melhor zagueiro pela esquerda, Réver, do Atlético-MG, ouviu uma piada de Tiago Leifert. O apresentador brincou dizendo que o atleta foi eleito sem que fosse considerado o último jogo do ano, no qual o Galo levou 6 a 1 do Cruzeiro.
Dedé, do Vasco, eleito melhor zagueiro pela direita, admitiu estar com as “pernas bambas” ao receber o prêmio no palco. Naquele momento, Luciano Huck aproveitou para dar uma cutucada na plateia, que pouco se manifestava até aquela altura da cerimônia.
O Tupi foi homenageado pelo título da Série D, e Ney Franco, técnico da seleção sub-20, recebeu uma premiação das mãos do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, pelas conquistas de 2011 (campeão sul-americano e mundial da categoria). Mano Menezes, técnico seleção principal, foi o apresentador do prêmio de melhor técnico do Brasileirão. Saiu vencedora a dupla Ricardo Gomes-Cristóvão Borges, do Vasco. Ainda recuperando-se de um acidente vascular encefálico, Ricardo Gomes foi representado pelo filho Diego.
Ao ser premiado como melhor árbitro, Leandro Vuaden teve de responder sobre o que pensou sua mãe quando ele disse que ia abraçar a profissão. Luciano Huck, autor da pergunta aproveitou para mandar uma abraço para Dona Irene Vuaden. Na sequência, foram exibidas imagens do radialista Luiz Mendes e de Sócrates, mortos este ano.

Com mais da metade da cerimônia em andamento, Luciano Huck avisou aos presentes que o segundo e o terceiro colocados nas categorias poderiam subir ao palco para receber prêmios, havia troféus para todos. Mas o que se seguiu foram premiações apenas para os primeiros.
Joinville, pelo título da Série C, e Portuguesa, campeã da Série B, também tiveram seus momentos de reverência ao longo da cerimônia.

Na hora da revelação do melhor meia pela direita, nova situação inusitada: Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, foi o encarregado do anúncio, mas não pôde fazê-lo na hora prevista porque não foi lhe dado o envelope com o nome do vencedor. Luciano Huck puxou assunto com Alckmin até que foram trazidos dois envelopes: o de meia pela direita veio junto. Alckmin então anunciou Diego Souza e Ronaldinho como ganhadores, sem deixar de tropeçar na pronúncia do nome do argentino Montillo, segundo colocado pela direita (disse Montilo, com a última sílaba pronunciada como a de “esquilo”).
Os melhores atacantes foram anunciados pelas atrizes Christine Fernandes e Fernanda Paes Leme, que agraciaram Neymar e Fred. O Tricolor, por sinal, também não esteve presente e foi representado pelo companheiro Deco. Por fim, foi anunciado o vencedor do Craque da Galera. O vascaíno Dedé, com 46% dos votos, foi o eleito, mas já não estava no auditório para receber o prêmio.
Fernanda Abreu e Thiaguinho fizeram um número musical antes de, enfim, chegasse o momento da coroação dos campeões. Ronaldo foi convocado ao palco e disse estar duplamente feliz: pela conquista do Corinthians e pela vaga na Libertadores conquistada pelo Flamengo. O Fenômeno então chamou o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que passou de volta a Ronaldo a honra de entregar o troféu aos campeões. Festa corintiana, ao som do hino do clube.
Craque do Brasileirão:
Neymar (Santos)
Goleiro:
1º – Jefferson (Botafogo)
2º – Fernando Prass (Vasco)
3º – Júlio César (Corinthians)
Lateral-direito:
1º – Fagner (Vasco)
2º – Mariano (Fluminense)
3º – Bruno (Figueirense)
Zagueiro pela direita:
1º – Dedé (Vasco)
2º – Antônio Carlos (Botafogo)
3º – Rhodolfo (São Paulo)
Zagueiro pela esquerda:
1º – Réver (Atlético-MG)
2º – Leandro Castan (Corinthians)
3º – Emerson (Coritiba)
Lateral-esquerdo:
1º – Cortês (Botafogo)
2º – Juninho (Figueirense)
3º – Kleber (Internacional)
Volante pela direita:
1º – Ralf (Corinthians)
2º – Romulo (Vasco)
3º – Arouca (Santos)
Volante pela esquerda:
1º – Paulinho (Corinthians)
2º – Renato (Botafogo)
3º – Marcos Assunção (Palmeiras)
Meio-campo pela direita:
1º – Diego Souza (Vasco)
2º – Deco (Fluminense)
3º – Lucas (São Paulo)
Meio-campo pela esquerda:
1º – Ronaldinho (Flamengo)
2º – Montillo (Cruzeiro)
3º – Thiago Neves (Flamengo)
Atacante 1:
1º – Neymar (Santos)
2º – Leandro Damião (Internacional)
3º – Júlio César (Figueirense)
Atacante 2:
1º – Fred (Fluminense)
2º – Borges (Santos)
3º – Loco Abreu (Botafogo)
Técnico:
1º – Ricardo Gomes/Cristóvão Borges (Vasco)
2º – Jorginho (Figueirense)
3º – Tite (Corinthians)
Revelação:
1º – Wellington Nem (Figueirense)
2º – Cortês (Botafogo)
3º – Leandro Damião (Internacional)
Árbitro:
1º – Leandro Vuaden (RS)
2º – Paulo César de Oliveira (SP)
3º – Sandro Meira Ricci (DF)
Craque da galera:
1º – Dedé (Vasco – 46% dos votos)
2º – Liedson (Corinthians – 36% dos votos)
3º – Neymar (Santos – 18% dos votos)
Artilheiro:
Borges (Santos – 23 gols)

Loading...
Related Video
 

About the author

More posts by admin

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment