Começa hoje julgamento de ex-PM por morte de Mércia Nakashima

Começa hoje a primeira sessão do julgamento do ex-PM Mizael Bispo de Souza, acusado de matar Mércia Nakashima, 28, em 2010. A sessão está prevista para começar às 9h no fórum de Guarulhos (Grande São Paulo).

Mércia desapareceu em 23 de maio de 2010 e foi achada morta, por afogamento, 19 dias depois em uma represa de Nazaré Paulista (a 64 km de São Paulo).

“Ele é o típico criminoso passional”, afirmou o promotor Rodrigo Merli Antunes, que tentará mostrar que o réu é um psicopata frio e perturbado com o término de um relacionamento, o que o levou a matar a amada.

Segundo ele, um conjunto de provas mostra que o ex-PM matou Mércia. Entre elas, ligações telefônicas que o colocam perto do local do crime e laudos que apontam vestígios de uma alga típica da represa no sapato de Mizael.

Já a defesa questionará as provas e quer revelar o acusado como um homem doce, educado, que está preso injustamente há um ano vítima de uma investigação falha. O advogado do réu levará ao júri um perito que dirá, por exemplo, que a alga encontrada no sapato é comum até em poças d’água.

O embate decisivo, no entanto, se dará em torno da hora do crime. Uma testemunha disse ter visto o carro ser jogado na represa às 19h30.

Neste horário, antenas telefônicas mostram que Mizael estava em Guarulhos.

Em novo depoimento, a testemunha mudou a versão e disse não saber a hora exata.

Mizael está preso desde 25 de fevereiro de 2012, quando se entregou à polícia após ficar mais de um ano foragido.

Ele trabalha na lavanderia do presídio e, todas as semanas, recebe a filha de 11 anos.

Neste período, o ex-PM escreveu um livro, intitulado “Na Cova dos Leões”, e busca uma editora para publicá-lo. No livro, ele relata sua vida, diz que foi “pintado como um mostro” e conta detalhes de seu relacionamento com Mércia -dizendo, inclusive, que ela não aceitava a separação.

CRONOLOGIA DO CASO MÉRCIA

23 de maio de 2010
A advogada Mércia Nakashima desaparece após almoçar com a família

10 e 11 de junho
O carro da advogada é encontrado na represa de Nazaré Paulista (64 km de SP) no dia 10 de junho, e seu corpo no dia seguinte

25 de junho
A Justiça de São Paulo decreta a prisão preventiva do vigia Evandro Bezerra Silva, depois de ele não aparecer para prestar depoimento no DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa)

9 de julho
O vigia Evandro Bezerra Silva é preso na cidade de Canindé do São Francisco, em Sergipe

10 de julho
Justiça decreta a prisão temporária de Mizael Bispo de Souza, 40, ex-namorado da advogada Mércia Nakashima, suspeito de ter participado do crime

14 de julho
Justiça suspende pedido de prisão de Mizael, que não chegou a ser preso

2 de agosto
O Ministério Público oferece denúncia (acusação formal) contra Mizael e Evandro por homicídio qualificado e ocultação de cadáver

3 de agosto
A Justiça de Guarulhos aceita a denúncia e decreta a prisão preventiva dos dois acusados

4 de agosto
O advogado de Mizael Bispo de Souza, Samir Haddad Junior, entra com pedido de habeas corpus. Mizael não se entrega e é considerado foragido

5 de agosto
A desembargadora Angélica de Almeida, da 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça, suspende a prisão preventiva de Mizael

9 de agosto
A 12ª Câmara de Direito Criminal do TJ suspende a prisão preventiva de Evandro

11 de agosto
Polícia faz a reconstituição de parte do dia em que Mércia Nakahima desapareceu. A polícia refez os passos de Mizael das 11h do dia 23 de maio até por volta de 18h40. Mércia teria sido vista pela última vez por volta de 18h30. Segundo o delegado Antônio de Olim, que coordenou a investigação, a vistoria serviu para reforçar as contradições no depoimento de Mizael

31 de agosto
O Instituto de Criminalística entrega à Polícia Civil e ao Ministério Público o laudo sobre a morte de Mércia. A principal evidência apresentada no documento é uma alga encontrada em um sapato de Mizael, que seria compatível com espécie presente na represa de Nazaré Paulista onde o corpo dela foi encontrado

18 a 21 de outubro
Justiça de Guarulhos ouve 21 testemunhas do caso, além dos dois acusados, durante audiência de instrução

7 de dezembro
Juiz decreta a prisão preventiva de Mizael e Evandro e decide levar os dois acusados a júri popular. Os dois não se entregam e são considerados foragidos

17 de dezembro
Os advogados de defesa de Mizael e Evandro entram com recursos contra o decreto da prisão preventiva no Tribunal de Justiça

27 de dezembro
A desembargadora Angélica de Almeida, da 12ª Câmara Criminal do TJ, nega habeas corpus em favor de Mizael e Evandro

10 de janeiro de 2011
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) nega pedido de habeas corpus feito pela defesa de Mizael

24 de fevereiro de 2012
Mizael se entrega à Justiça após mais de um ano foragido. Advogado diz que pediu prisão domiciliar para ele

21 de março
A 12ª Câmara de Direito Criminal do TJ mantém decisão de levar Mizael e Evandro a júri popular

15 de maio
A 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) nega pedido de habeas corpus a Mizael

23 de junho
Evandro é preso no povoado de Candú, zona rural de Carneiros, sertão de Alagoas

Loading...
Related Video
 

About the author

More posts by carol

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment